Como Definir a Visão de Futuro

Com as transformações de mercado, intensas e frequentes, empresários, gestores e profissionais em geral devem se perguntar constantemente: “Para onde devo migrar com as transformações do mercado? Que novas oportunidades devo aproveitar para superar o desaparecimento de antigas demandas? Que posicionamentos devo construir para o futuro?”

Ao mesmo tempo, a rotina de empreendedorismo, gestão e trabalho também pode nos trazer insatisfação ou algum tipo de esgotamento. Talvez com determinada atividade ou ramo de negócios, outras vezes com a maneira como as coisas estão se desenvolvendo, ou mesmo com a forma que o trabalho é feito. E aí um grande desejo de mudança provoca uma mobilização para fazer algo diferente ou desbravar novos campos.

Quando se encontram nestas situações, as pessoas geralmente têm muita clareza sobre o que não querem ser, do que querem se livrar ou o que não querem mais fazer. Uma espécie de “visão negativa”. Algo do tipo: “não quero mais dar plantão”, “quero sair deste emprego” ou “não quero mais este tipo de cliente”.

visão de futuro
Photo by Simon Migaj on Unsplash

Entretanto, a visão precisa trazer uma forte mobilização para ser efetiva. Só desta forma ela vai ajudar você a sustentar a energia e o foco na construção do futuro. Uma “visão negativa” pode ajudar em algumas escolhas, mas não vai promover o encaminhamento para gerar resultados concretos. Se você se planejar com uma visão negativa, a tendência é a desorientação.

Para definir novos rumos empresariais e profissionais, é necessária uma visão positiva de futuro.

Uma boa visão de futuro começa com o entendimento do propósito. O que atrai seu interesse genuíno? O que realmente mobiliza sua energia para produzir? Uma provocação emocional, mas muito pertinente foi feita por George Bernard Shaw, citado por Peter Senge em A Quinta Disciplina:

Essa é a verdadeira alegria da vida, ser usado para um propósito que nós mesmos reconhecemos como superior… Ser uma força da natureza e não um amontoado de doenças e queixas egoístas e febris, reclamando que o mundo não se devotará a fazê-lo feliz.

A partir de um propósito claro, você tem uma orientação geral do que pode fazer e para onde pode ir. Refletir sobre o que desperta sua curiosidade, problemas com os quais gostaria de se engajar, atividades que dão prazer, áreas do saber que mobilizam sua “sede de conhecimento” podem ajudar a construir este posicionamento mais abstrato de seu propósito.

Neste momento, com mais clareza sobre esta direção geral mais abstrata, a visão do futuro concreto pretendido vai ficando mais fácil de ser construída. Aqui é oportuno fazer-se as seguintes perguntas, mesmo que não se consiga respondê-las todas:

  1. Onde pretende chegar?
  2. O que quer se tornar?
  3. Quais são seus parâmetros de sucesso?
  4. Como seus esforços devem ser direcionados?

Finalmente, um cuidado importante a se tomar é o de elaborar uma visão de futuro com valor intrínseco e não de forma relativa a outros atores do mercado. Ou seja: não se compare quando for construir a visão de futuro! Senão o raciocínio estará focado na visão sobre os outros e não sobre o seu real projeto de futuro. Para resolver essa questão, pergunte “por quê eu pretendo conquistar isso” continuamente até entender de verdade o que realmente traz a mobilização para construir uma visão de futuro pela qual valha lutar incansavelmente todos os dias.

Sua visão de futuro é clara, positiva, concisa e mobilizadora? As mudanças e conquistas estão descritas e fazem sentido? Os parâmetros de sucesso estão claros?

 

Leia mais sobre estratégia aqui:

Conheça o podcast da Delta, o GestãoCast!

Tags: | | | | | |

Receba conteúdos exclusivos!

Cadastre-se para receber conteúdos sobre gestão, estratégia, finanças e pessoas.

Ao clicar no botão abaixo, eu concordo em receber os boletins informativos da Delta Consulting de acordo com a Política de Privacidade.

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *