Por que e Como Alternar entre Centralização e Descentralização

Qual o melhor estilo de liderança?

Qual seria o melhor estilo de liderança? Aquele em que o gestor assume o comando ou aquele em que o gestor escuta a equipe, a empodera e não interfere muito?

Uma pesquisa recente, envolvendo as Universidade de Harvard, Stanford e Michigan (cujos achados foram apontados na Harvard Business Review de março e abril de 2023) identificou que os melhores resultados vêm das abordagens adequadas às situações específicas. Gestores e equipes com os melhores desempenhos conseguem se adaptar ao longo desse espectro de maior controle e ênfase na liderança até mais autonomia e ênfase nas equipes.

liderança de equipes e estilo de liderança
Foto de Mitchell Luo na Unsplash

Os extremos dos estilos de liderança

Quando, de forma indiscriminada, a liderança opera no exercício da autoridade, as equipes têm desempenho mais baixo em entregas relacionadas a criatividade e inovação. Um modelo mais baseado no controle pode inibir o fluxo de ideias, sugestões e análise crítica da equipe. As pessoas podem preferir obedecer para se preservar com seu chefe, em vez de pensarem o que é o melhor para a empresa e seu futuro.

Por outro lado, organizações cuja estrutura opera de forma muito intensa na lógica horizontal têm mais problemas na tomada de decisão, coordenação de esforços e equipes, e, consequentemente na execução eficiente. Nesse modelo, decisões urgentes podem ser adiadas em busca do consenso e gestores podem falhar em exercer sua expertise e responsabilidade, ouvindo “demais” a equipe, até quando essa não entende tanto da situação em questão quanto o próprio gestor.

 

Como diagnosticar seu estilo de liderança preferencial (na prática, sem testes que aceitam qualquer resposta)

O primeiro passo aqui é avaliar o quanto das reuniões você ocupa falando, especialmente aquelas em que o objetivo é produzir diagnósticos ou gerar ideias. Também é desejável buscar ativamente feedback (especificamente sobre essa temática) de pessoas próximas e que você sabe que serão totalmente transparente com você nessa avaliação.

É igualmente importante dar um passo atrás e também ver como a própria equipe opera. Se ela entra em debates sem fim, excessivamente focada na geração de ideias, sem conseguir chegar a conclusões, ou se ela espera muito da liderança, adotando uma postura mais passiva e com menos autonomia.

 

Quando funcionar de cada forma?

As lideranças que gerenciam bem essas mudanças em seu estilo de funcionamento comunicam bem quando estão operando de forma mais focada em cada um deles. As pessoas sabem quando é hora de gerar ideias e novas perspectivas, num modelo mais participativo e quando é hora de promover fechamentos e encaminhamentos, num modelo mais coordenado pela autoridade.

Neste processo, a liderança coloca de forma clara quando a participação é esperada e cria um ambiente de segurança psicológica para que as pessoas falem. E, quando é chegada a hora das conclusões, sejam elas a definição de encaminhamentos ou a tomada de decisões, a gestão deixa muito claro que está assumindo o controle.

 

As reuniões como campo de prática

As reuniões são um excelente campo de prática para essa alternância dos estilos de liderança, porque, ao mesmo tempo que as pessoas gostam de processos de debate e geração de ideias, as empresas precisam que isso esteja associado com ações e execução.

Normalmente em reuniões com caráter de construção de estratégias, ideias ou decisões, o papel inicial da liderança é de definir ou relembrar a pauta e dar um passo atrás, estimulando que as pessoas falem. Ficar em silêncio por uns 10 minutos e deixar a equipe falar sinaliza muito fortemente que a participação é esperada e criar aquele ambiente de segurança psicológica. Na parte das conclusões, é muito importante que a liderança se posicione e defina claramente o que ficou decidido, quais os próximos passos e quem ficou responsável pelo que.

Como esse processo pode ser muito sutil, é fundamental prestar atenção e usar bem a sua linguagem corporal (se você pede opiniões e está com os braços cruzados, talvez não tenha o mesmo efeito de fazer isso com a postura mais aberta…). Da mesma forma, você deve observar como as pessoas estão se sentindo, também por meio de sua linguagem corporal, e a partir daí estimular o comportamento desejado.

 

Perceber o estilo de liderança necessário e comunicá-lo

De forma bastante resumida, as lideranças precisam saber quando devem “se meter”, quando devem deixar a equipe “solta” e comunicar de forma muito clara quando estão fazendo isso e por que estão fazendo isso.

 

 

Leia mais sobre estilo de liderança aqui:

Tags: | | | | | | | |

Receba conteúdos exclusivos!

Cadastre-se para receber conteúdos sobre gestão, estratégia, finanças e pessoas.

Ao clicar no botão abaixo, eu concordo em receber os boletins informativos da Delta Consulting de acordo com a Política de Privacidade.

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *